Chá verde
       Que o chá é um santo remédio para quase tudo, você já sabe. Frio, quente, morninho, gelado, dá um embalo na dieta, facilita a digestão, ajuda a dormir melhor, faz bem para a pele, combate o stress. Enfim, é um curinga perfeito no tratamento de infinitos males.Todo esse poder fez com que a bebida passasse a ser indicada por especialistas de várias áreas da saúde. Aqui, eles contam os tipos de chá que recomendam para seus pacientes. 

CHÁ VERDE E OVO CAIPIRA: A DUPLA DA CONCENTRAÇÃO
"Para combater os principais inimigos do processo de envelhecimento, aposto na ação do chá verde. Ele tem
substâncias que diminuem a oxidação das células e, com isso, faz com que produzam menos radicais livres, retardando o envelhecimento. Esse processo traz mais um benefício: facilita a oxigenação do sangue - importante para manter as doenças à distância. Com os radicais livres sob controle, o corpo também consegue absorver melhor os nutrientes.

Existem combinações que permitem o chá verde atuar no organismo de maneira ainda mais eficiente. O ovo caipira, por exemplo, potencializa os benefícios do chá, assim como o consumo de nozes ou castanhas. Essas parcerias melhoram a concentração e até a inteligência emocional.

Outra dica: para evitar aquela fome depois das 16 horas, uma boa alternativa é o chá de carqueja, rico em cromo. Esse mineral estimula o cérebro a usar o açúcar já disponível no corpo e não requisitar mais doce. Mas, para obter o efeito antiaçúcar, é melhor beber a infusão meia hora antes das refeições. Quem não dorme bem pode usar uma combinação de camomila com hortelã e valeriana. Além de garantir uma boa noite de sono, essa mistura de ervas ajuda você a acordar bem disposta."

Juarez Callegaro, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), psiquiatra e especialista em medicina ortomolecular.

SAIBA COMO EMAGRECER
Garcinia cambogia


A Garcinia cambogia é uma pequena árvore originária das florestas da região do Camboja, Sul de África e Polinésia e cultivada na Índia e em países do Extremo Oriente. O ácido hidroxicítrico (AHC) é o principal ácido encontrado na pele do fruto e responsável pelas propriedades saciantes da Garcínia. 

Não resistir as guloseimas durante uma dieta é uma das principais queixas ouvidas pelos médicos que tratam da obesidade. Mas agora é possível contar com essa grande descoberta vinda da Ásia.

A Garcinia cambogia tem despertado grande interesse pela sua capacidade de reduzir o apetite, diminuir a vontade de comer doces, sem efeitos secundários. 

VEJA COMO :

Ácido hidroxicítrico (AHC)
O AHC apresenta três acções para promover a perda de peso:

1. Agente bloqueador de gorduras – os hidratos de carbono, ingeridos em excesso, são transformados e armazenados como gordura. Neste processo é necessária a participação de uma enzima chave, a ATP-citrato liase. O AHC liga-se a esta enzima bloqueando-a, inibindo consequentemente o armazenamento de gordura.

2. Mais glicogénio – as calorias que não são armazenadas sob a forma de gordura vão ter outro destino. Ao bloquear a ATP-citrato liase, o AHC tem a capacidade de transferir as calorias para formar glicogénio (forma de açúcar armazenada nos músculos e no fígado).

3. Redução do apetite – o AHC controla o apetite através de uma maior síntese de glicogénio, ou seja, quando as reservas de glicogénio estão altas, os receptores do açúcar no fígado são estimulados e enviam um sinal de saciedade ao cérebro (sem estimular o sistema nervoso central). Outro processo assenta na capacidade do AHC em estimular a libertação da serotonina, um neurotransmissor vital envolvido no controle do apetite. Trata-se também de um modo completamente natural de alterar a fisiologia do organismo e promover a perda de peso.
 
 

Os benefícios do chá: bebida milenar

Dr. Filippo Pedrinola/Revista Menu

As virtudes medicinais dos chás são de conhecimento milenar. Já na civilização egípcia, 1.500 anos a.C., o uso do sene, tão popular até hoje, era descrito. Devido à evolução da indústria farmacêutica nos anos 50, diminuiu-se o uso das plantas medicinais, que foram substituídas pelos medicamentos sintéticos.
Na década de 80, o interesse pelos recursos fitoterápicos voltou a crescer, desta vez com investimentos para a pesquisa nessa área. Afinal é inegável que "as ervas podem curar" e essas soluções podem ser mais baratas e muitos eficazes.

Contudo, não podemos esquecer de que é necessário fazer "bom uso" deste recurso. Por exemplo, o chá de pata de vaca é recomendado para melhorar o controle da glicemia em diabéticos, mas não é incomum que pacientes que necessitam de insulina apresentem complicações quando decidem seguir a sabedoria popular e suspender a insulina, adotando apenas o chá como tratamento. Outro ponto a ser ressaltado é que o chá-mate e o chá preto podem impedir a adequada absorção de ferro e cálcio (por causa da presença do tanino).

Estes chás também contêm cafeína na sua composição. Sabemos que é fundamental hidratar nosso corpo. Uma adequada hidratação auxilia no funcionamento intestinal, na produção de enzimas digestivas, no equilíbrio hídrico de todas as células, inclusive diminuindo inchaços.

Tomando chás, além de conseguirmos os efeitos de hidratação, podemos potencializar os benefícios com as propriedades específicas de cada planta e, ainda, ajudar o metabolismo no processo de desintoxicação por meio das catequinas, substâncias presente nos chás de ervas.


Revista Água na Boca

VISITE NOSSA LOJA VIRTUAL 
 
com mais de 200 tipos de ervas 
 
   clique aqui www.chaecia.com.br